Amor platônico e a divinização da mulher

Por Shy Guy
O amor platônico pode ser definido como o amor sem aproximação, à distância, no qual o objeto de admiração é idealizado como um ser perfeito e admirado por sua qualidades, inteligência e bom comportamento, ou seja, é uma forma de amor sem conotação sexual ou então, com uma sexualidade romântica, não carnal.

Quando se está neste estado, o cara vê qualidades diversas que supostamente os outros não veem nela e o seu encanto não é tão focado pela beleza ou pelos atributos sexuais, mas sim por um comportamento considerado ideal, e normalmente este é bem feminino, como calma, meiguice, delicadeza, etc.

É basicamente, a exteriorização do perfil ideal de mulher em uma que está bem longe disso, é somente uma fantasia, uma ilusão, mas quem está nesse estado, não se dá conta disto, pois está inebriado nesse sentimento de amar sem que o alvo saiba disso (é o que ele acha, pois mulheres são mais atentas a isto do que imaginamos).

Isto torna o homem débil e desligado da realidade, ao divinizar um ser imperfeito e falho, como são as mulheres, fora que, o cara nesse estado, não consegue se interessar em sair com outras garotas que tem algum interesse por ele, por supostamente elas não serem nem perto de quem ele "ama" escondido.

Ele sabota o homem, ao fazê-lo recusar mulheres que provavelmente teriam mais interesse e poderiam ser melhores do que a mulher que o cara tão idealiza e superestima, o que impede ele de ganhar experiência e lida com elas.

Também torna-o mais emasculado, pois como ele diviniza a mulher, ele tem um tratamento bem servil e tímido, procurando agir sutilmente e com uma certa vergonha, esperando que a garota note a nobreza de seus sentimentos, o que normalmente não ocorre.

O amor platônico, normalmente acaba quando o cara toma coragem de dizer o que sente e é jogado na friendzone, como aquele não sutil, de só amizade ou no pior dos casos, quando ele ver a mulher que tanto idealiza, com outro, e isto se torna pior caso este seja um traste.

Por fim, ele começa a acabar aos poucos, porém leva um bom tempo e nisto rola um ressentimento, uma grande melancolia, um sentimento de vazio existencial, de que o mundo é muito injusto, de que o amor não presta, e depois de um tempo, acaba-se esquecendo daquela pessoa.

Porém, caso não crie uma blindagem e um certo ceticismo sobre esse sentimento fútil (já que dificilmente quem está nesse estado consegue ter o alvo de seu amor, por considerá-la tão perfeita que se sente muito intimidado em abordá-la, se contentando em adorá-la escondido), quando ele menos imaginar, verá uma garota que aparenta se encaixar no seu perfil de garota perfeita e logo o ciclo irá se repetir.

0 comentários:

Postar um comentário