Resposta final as detratoras de NA (HJ)

Resgatado por Nedless Kane


Resposta final as detratoras de NA.
por Shamã


Eu andei participando de algumas comunidades onde havia participação de detratoras, decidi encerrar tais participações, contudo, diante de um tópico que foi aberto em uma das comunidades, eu elaborei uma resposta, estou divulgando aqui, como forma de contribuição de conhecimento. Não pretendo mais discutir com opositoras, mas apenas aperfeiçoar o que conhecemos.


Os que optaram pelo cafajestismo, misoginia, ou seja, e toda sorte de atitudes extremistas, foram criaturas criadas à proporção das decepções que as espertinhas aplicaram em cimas deles, joguinhos, ciúmes, traições, rejeições, abandonos e toda sorte de inferno emocional proporcionado aos homens honestos.
As mulheres brasileiras em sua maioria, são interesseiras natas, lhes é ensinado na família a escolher o mais rico, fazemos justiça as pouquíssimas exceções, estas estão isentas de nossas criticas. As mulheres brasileiras terão que tomar ciência que colherão o fruto daquilo que plantam, à medida que somos uns país onde a desigualdade social é gritante, vide:

Esta cada dia mais difícil, um homem comum montar uma família, morei em várias cidades do pais, em São Paulo capital, a maior cidade do pais, quem ganha R$ 800 já não pode manter família, se lançam a casar com mulheres que trabalham, estas ao invés de dar conforto ao marido que sofre terrivelmente no trabalho (um trabalho fácil jamais é dado a um homem adulto comum, mas sim a vizinha gostosa ou parentes), elas procuram exposição de forma a despertar interesses de outros machos superiores. Isto sem mencionar os desempregados que não tem completamente nada.

Elas afirmam que os homens dão preferência à beleza, o que é verdade, mas o que elas não falam é que pouco homem de idade adulta sequer tem o privilégio de estar escolhendo mulheres, se casam com aquela que aparentemente ter um comportamento mais dócil, estas cientes desta dificuldade proporcionam todo tipo de inferno emocional a eles, se acomodam e ficam desleixadas, esta cada dia mais difícil, conseguir uma namorada seria, não pela oferta de mulheres em si, mas pelo grande número de mulheres que transformam qualquer namoro em um inferno emocional, isto é, nunca deixando de dar mais atenção aos amigos do que a ele, trabalhar sem necessidade, viajar sozinha, negando sexo e carinho entre outras coisas.

Terão que aceitar arcar com as conseqüências das atitudes negativas que lançam: sedutores, cafas, misóginos e radicais.

Um efeito negativo que esta se voltando contra elas, devido a rejeição constante e os joguinhos já podem ser observados atualmente: cafajestismo e sedutologia (vulgo PUA) estão virando objetos de estudos, logo não demorará para haver tantas escolas disso , como há as de cursinhos de inglês e informática.

A competição acirra a revolta daqueles incapazes, não por falta de esforço, mas por simplesmente existir outro superior, em tempos antigos isso era que o que originava assassinatos. A história de Caim e Abel é a primeira história conhecida de assassinato, ocasionado por frustração/revolta depois de uma derrota.

O trabalho de Nessahan é digno, ele abriu os olhos, e não cobrou um centavo por isso, contudo, Nessahan aponta um caminho diferente do extremismo, um caminho da auto-evolução e eliminação dos defeitos. Vejam que elas apontam o dedo para Nessahan, mas nenhum dedo é apontado para os machos alfas, sedutólogos, cafas, comunidades de cafas e professores de truques psicológicos para enganá-las, até a hipnose esta sendo explorada.

Se revoltam com aqueles que procuram um caminho digno da indiferença e auto-evolução, e nenhum dedo é apontado contra aqueles que estudam como engana-las.

Se proclamam diferentes, tão egocêntricas que fazem isso observando a si mesmas, se recusam a observar amigas e parentes e ver se elas também são diferentes, em tamanha cegueira estão mergulhadas.
Vocês desprezam a verdade e amam a mentira, continuem assim, as fileiras das SS nazistas em meados de 35 eram preenchidas por pobres e desempregados...

Sem mais!

0 comentários:

Postar um comentário