Jogador do Vasco sequestrado após pegar mulher de bandidos.

Comentário do C.O.B.R.A. logo abaixo.


O apoiador Bernardo tomou um enorme susto no último domingo, dia 21. O jogador do Vasco foi sequestrado e agredido por traficantes dentro do Complexo da Maré. O motivo teria sido o seu envolvimento com Daiane Rodrigues, supostamente uma das mulheres de Marcelo Santos das Dores, o Menor P, líder do tráfico no local.

Bernardo e Daiane teriam sido flagrados por bandidos na Favela Salsa e Merengue, e de lá levados para uma casa no Morro do Timbau, onde teriam sido amarrados com fita crepe, torturados e espancados. Daiane - que, segundo uma testemunha, levou sete tiros nas pernas - foi libertada e tentou atendimento no Hospital Paulino Werneck, mas não conseguiu. Ela acabou sendo internada no Hospital Souza Aguiar, onde permaneceu até esta quinta-feira. O caso está sendo investigado pela 21ª Delegacia Policial (Bonsucesso).

Bernardo informou o Vasco sobre o crime também nesta quinta. O diretor Renê Simões confirmou que conversou com o atleta.

- Falei com o Bernardo há pouco tempo, e a nossa prioridade é dar apoio total ao jogador. Claro que o Vasco não quer ver seu nome envolvido em qualquer coisa que não seja da esfera desportiva. Mas entende que o atleta deve receber suporte do clube em qualquer situação, enquanto os procedimentos legais são tomados - disse.

A polícia recebeu a informação de que Bernardo estaria acompanhado de dois outros jogadores - um de um time carioca, e o outro de um time paulista, ambos criados na Maré. Um deles teria "salvado" Bernardo, argumentando com os traficantes que, se o jogador morresse, "a favela teria UPP (Unidade de Polícia Pacificadora) no dia seguinte".

Bernardo está em recuperação de uma lesão no joelho e tem cirurgia marcada para o dia 1º de maio. A previsão é de que ele só retorne aos gramados no fim do ano. René Simões não quis antecipar se o episódio ocorrido fora de campo pode resultar em multa disciplinar ao jogador, que tem contrato com o Vasco até 2015.

- Uma coisa é o contrato de trabalho CLT, a outra é o contrato de imagem, que no caso do Bernardo não existe. Primeiro é preciso pensar no lado humano, e depois, no jurídico. Como tomamos conhecimento hoje, ainda não conversei com os advogados do clube - explicou.

Fonte: GloboEsporte.com



C.O.B.R.A.


O cara não sabia que ela era mulher de marginal.
Afinal como alguém vai saber?

Comigo mesmo em festas, já perdi as contas de chegar em vadia comprometida e ela dar condição e falar "...vamos ali no canto porquê meu namorado pode estar por perto..." é claro que eu saia fora.

Acho que quase ninguém em sã consciência tenha prazer em enrabar mulher de marginal chefe de tráfico tendo pleno conhecimento disso.

Mulher é um bicho safado mesmo... procura macho sendo casada, estando namorando, umas ainda dão o rabo dentro dá própria casa enquanto o marido vai trabalhar.

E no fundo elas imaginam que nada vai acontecer com elas (o cara que se foda) mas vejam que até a vadia se lascou levou 7 balaços nas pernas pra ficar esperta.

Ninguém ficaria ciscando só porquê a mulher é comprometida e de traficante, isso de correr atrás de comprometido e sentir prazer em roubar o outro é típicamente coisa de mulher.

1 comentários:

  1. Gostei desse blog e desse aqui também, muito bom, ensinam bastante
    http://segredosdomestre.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir