Como lidar com a Solidão?

Dúvida respondida por Teophilo



Boa noite realistas!

Ao contrario do que alguns devem ter pensado devido ao titulo do tópico, a solidão que me refiro não tem a ver com mulheres, venho tendo problemas ultimamente com uma certa "solidão social", isso porque não tenho "amigos", apesar de saber a real sobre "amizade".
Não sou um sujeito anti-social a ponto de não ter nem ao menos "colegas"... o problema é que quanto mais eu evolui e mais mudei meus comportamentos, fui ao poucos me desfazendo de todos meus colegas, baladeiros, maconheiros, interesseiros e também daqueles que não me acrescentam nada. Cheguei em um ponto onde não tenho mais ninguém, lidei com isso por um tempo, mais ultimamente tenho sentido falta de algum "companheiro social" pra sairmos por ai, ir em algum bar ou algum puteiro ou simplesmente pra jogar conversa fora de vez em quando... 

Quero saber de vocês se também tem esse problema? 
e como lidar com isso?
estou realmente precisando de uma força nesse departamento.



Resposta:


Não se prenda ao fato de que precisa ter alguém, seja homem (amigos) ou mulher. Isso é extremamente psicológico como já disseram. Eu confirmo isso porque conheço um cara que vai para bares, shows, boates, shoppings, e qualquer outro lugar, sozinho. E se sente totalmente confortável. Se tiver que chegar junto em uma mulher chega, se tiver que abordar algum cara pra chamar pra uma conversa aborda, seja em bar ou outros lugares citados acima. E não raro passa pro público, seja masculino ou feminino, um "ar" de segurança e confiança, ao ponto de o pessoal ficar bem puto da vida, tipo assim : "que cara mais FDP, bem senhor de si". 

Já detectei uns 2 caras aqui na minha cidade além dele que é a mesma coisa. Isso se chama liberdade real. O homem livre, maduro, calmo e sábio não necessita regular-se a partir do outro. Por isso, homens mais sábios preferem ficar sozinhos e quando permitem-se amigos só um ou dois é o suficiente, e têm quer ser do mesmo naipe que eles. 

Outros se sentem extremamente desconfortáveis em ter que sair sozinhos para os lugares de diversão e entretenimento. Confesso que já fui assim, preocupado, sentia-me desconfortável no meio de tanta gente com tantos "amigos", um deslocado completo. Hoje em dia, depois de muita reflexão, desenvolvimento pessoal (mais interior que qualquer outra coisa) vou a qualquer lugar sozinho e me sinto muito bem, sem exagero ou misantropia. Me sinto realmente bem, despreocupado com os outros e bem livre. Quando chega alguém e puxa um papo eu desenvolvo naturalmente, rio, brinco até. Mas não me prendo, não me limito a isso, aos outros. 

Outro dia mesmo, quando estava cheio de tanto trampo e estudo, resolvi ir em um pub sozinho. Cheguei, pedi um chopp, tava rolando uma musiquinha fuleira de fundo e tinha umas "moças" lá dando risada e gargalhada e uns marmanjos querendo traça-las. Olhei pra uma loira e a partir daí começou aquela merda toda de troca de olhares até quando, no susto, a amiga dela veio e falou assim: "minha amiga tá interessada em te conhecer, falou que você tá aí sozinho e te pergunta se não quer se juntar a gente lá". Eu disse: "não, obrigado, tô bem aqui. Diz pra ela que se ela quiser vir aqui conversar fique a vontade". 

Na hora pensei que não ia rolar nada por causa da minha negativa. Porém, passado 10 minutos veio a loira: "tu é difícil em...rsrsrs....por que não quis ficar lá com a gente?" Eu disse que estava bem assim e que não precisava fazer macaquices como os caras só pra tentar pegar mulher. A "moça" caiu em risos, sentou-se ao meu lado e ficamos ali nos primeiros contatos. 

Relatei isso só pra verem que segurança e confiança é o melhor custo/benefício. São as bases do homem que sai sozinho.

O processo é totalmente psíquico. É uma questão de entendimento da dinâmica social, maturidade e sabedoria. É saber que se você precisar do outro para sentir-se bem em suas "saídas" estará sendo, na verdade, escravo da presença do outro. Portanto, querer ser livre, não dependendo de ninguém pra sair, é o começo de tudo.

"Ah, mas o homem é um ser social", refutam alguns. O homem é um ser social por causa de suas necessidades naturais básicas inadiáveis. No campo do ócio, isto é, naquilo que vai além dessas necessidades básicas naturais inadiáveis, o homem sempre foi um ser recolhido, interiorizado, reflexivo. 

Mas enfim, o que eu quero dizer é que pra se sentir bem só tem que ter maturidade como já disse. O homem que sai sozinho pra se divertir denota confiança, segurança e auto domínio. É uma questão de sabedoria mesmo. Por isso quando a gente vê grupinho de mais de 5 andando junto sábado a noite pra se divertir não vemos entre eles um só que entenda bem a dinâmica social. São, no fundo, fracos, inseguros, idiotas, manginas, fazem mil e uma macaquices pra "pegar muié", pagam micos e mais micos.

Quanto a carência, isso é psicológico também. Você apenas pensa estar carente e começa a sentir isso. Sabemos que carência afetiva é psicológico e afeta a todos, porém em níveis diferentes. Você vence isso com outro fator igualmente psíquico que é o desapego. Quanto mais praticar o desapego, e isso é um trabalho reflexivo, menos carente você será. A chave é o desapego.

1 comentários: