Quando o bicho pega, mulher vira zero a esquerda

Por ThothEnki

Hoje pela manhã fui pegar um ônibus no terminal e vi uma cena pra qual não liguei muito, visto que não tinha nada a ver comigo. Mas é engraçado ver como a mulherada se apavora com esse tipo de situação e quer que um HOMEM vá lá e resolva.


Havia um princípio de confusão, dois malacos estavam xingando um cara e falando que iam bater nele, pelo que deu pra perceber o cara tinha mexido com a mulher de um dos caras e foram primeiramente em dois vagabundos dando socos no ar pra surrar o cara, coisa patética de se ver e cômica. Nisso um deles levou uns três diretos de direita e foi jogado no chão, dava pra ver que alguma de noção de luta o cara tinha e podia dar conta dos dois fácil. Nisso chega um terceiro vagabundo e acerta uma voadora no rosto dele e ele cai. Imediatamente os três malacos crivam o cara de chutes e pontapés e alguns motoristas e um policial chegam pra apartar, senão o cara teria tomado uma sova de parar em hospital.

O mais interessante nessa situação é que eu estava do outro lado do terminal observando, assim como os demais (havia uns quatro homens, um deles o policial que ajudou a apartar a briga) e umas 25 mulheres de diversas idades. Primeiro o pessoal ficou observando a briga, a mulherada em pânico com a situação e os homens olhando com uma cara de foda-se, não vou comprar briga dos outros. Enquanto rolava a briga as mulheres faziam estardalhaço querendo que alguns de nós fossemos lá resolver a situação, falando mais ou menos o seguinte: cadê um homem essa hora pra apartar isso aí, não tem homem aqui?
Aí só dei uma olhada e falei: por mim que se matem, tenho nada a ver com isso. Falei alto pra escutarem mesmo, uns três homens concordaram comigo e a mulherada fez cara de cú cagado e ficaram quietas olhando.

Depois o cara caiu no chão, aí alguns motoristas e o policial correram lá pra separar, senão os vagabundos tinham matado o cara.

Enfim, é isso. Quando a coisa fica feia a mulherada não sabe como resolver a situação e apela pros homens. Pra o homem que ela nem conhece, salvar um mangina imbecil que ninguém nunca viu na vida. Querem que o homem se sacrifique e corra riscos pra que elas não vejam esse tipo de situação e creiam que a sociedade é uma pré-escola bem ordenada e onde todos seguem regras bem definidas e não uma selva em que há risco iminente. Lutaram tanto por direitos, entao que recebam também o direito de observar essas cenas grotescas pra verem a merda de homens que estão criando e tanto idolatram.

2 comentários:

  1. É muita coisa em que só lembra dos homens quando convém. E mesmo assim nem lembram ou não querem lembrar dos feitos masculinos, ao passo que os feitos femininos são exaustivamente exautados.

    ResponderExcluir
  2. não parece muito masculino a atitude de cruzar os braços quando alguém está sendo oprimido... eu concordo com quase 100% do que está escrito neste blog, mas isso, esse comportamento autodestrutivo, de esperar a aniquilação de todos os outros homens é estranho..ou seja, o movimento dos homens não existe? existe é apenas o movimento contra o feminismo? Homens são rivais em alguns comportamentos e não inimigos. Sempre foi uma máxima masculina defender qualquer um que esteja sendo injustiçado e não esse comportamento infantil de cruzar os braços só pra dizer que homem é diferente de mulher.

    ResponderExcluir