Um homem na platéia.

Por Dank


Um homem na platéia.

Flávio era um rapaz comum. Tinha seus 20 anos e estudava e trabalhava bastante. Certa vez sua mãe foi chamada para um desses programas de auditório. A mãe de F lávio ficou bastante animada e queria ir de qualquer jeito. Como sua mãe já era uma senhora de idade, Flávio a levou lá

Chegando lá, Flávio se surpreendeu com a quantidade de mulheres que havia lá. Eram loiras, morenas, ruivas e muletas muito bem "qualificadas". Depois de brigar para encontrar o lugar de sua mãe, Flávio finalmente começou a apreciar a platéia, até que a atração entrou.





Eram 8 pessoas, havia homens e mulheres, jovens e velhos. Flávio não meu muita atenção, possivelmente era uma briga de casais ou algo do tipo. Então entrou a apresentadora, uma balzaca bem acabada, realmente aquele era um programa meio desanimador.

Depois entrou um senhor que aparentava ser o "lado mau" da situação, pelo menos as mulheres da platéia deixaram isso claro. Então a balzaca apresentadora, informou que aquelas 8 pessoas eram ex-presidiários, e que o senhor era o político que queria eliminar uma nova lei que dava auxílio para os familiares dos presidiários.

Depois de muito bate e boca, Flávio percebeu que a platéia estava a favor dos presidiários, defendendo-os e xingando o político. Os presídiários eram as vítimas da situação, e isso deixou Flávio num estado de revolta.

Enfim se abriu a oportunidade para se fazer uma pergunta para as atrações do show. Antes que uma morena levantasse seu traseiro "qualificado", Flávio pegou o microfone e falou:

Flávio- Oi, meu nome é Flavio e eu gostaria de fazer duas perguntas.
Balzaca- Oh, oi Flávio, pode fazer suas perguntas! Pra quem elas são?
Flávio- Pra aquela senhora da direita e acredito que o filho dela.
Balzaca- Ah, Dona Lúcia e seu filho, Rogério.
Dona Lúcia- Pode perguntar meu filho.
Flávio - Tudo bem com a senhora? Eu gostaria de saber, pelo que a senhora foi presa e quanto tempo a senhora cumpriu.
Dona Lúcia- Fui pega por tráfico de drogas..., e fiquei 5 anos.
Flávio- Entendo, como eram os drogados de lá?
Dona Lúcia- Eram pobres coitados..., desesperados por mais. Eu ganhava só 5 reais por dia, mas eles eram muito desafortunados.
Flávio - Hum, entendo. Agora eu quero perguntar pra você Rogério.
Rogério - Opa, pode perguntar brother.
Flávio- Rogério, você tem filhos, esposa?
Rogério- Não cara, eu to pra curtir a vida agora..., hahaha.
Flávio- Hahaha, isso mesmo cara! Mas você não pretende ter uma família?
Rogério- Claro, quero ter uma filhinha!
Flávio- Imagino ela com 4 anos, pulando por ae..., boa sorte cara.
Rogério- Meu sonho cara..., obrigado.
Flávio- E ae, você teria uma esposa..., uma moreninha, bonitinha de rosto e corpo.
Rogério- Ohhh, isso ae.
Flávio- Caseira ela, fazia uma comida maravilhosa, cuidava bem da sua filhinha. Tu trabalharia numa construtora, trabalhando bastante, mas ganhando para sustentar sua família. E então tu compraria tua casa, deixando de morar com a sua mamãe.
Rogério- Ohhhhhhhhhhhhhhh, morar com minha esposa e filhinha. Ia ser maravilhoso ae.
Flávio- Então um dia, você estaria assistindo tv com sua família, e você ouviria um barulho estranho na garagem.




Rogério- Hum?
Flávio- Então tu iria abrir a porta pra ver o que era...., até que BAM, você é jogado pra dentro da sua casa. Três bandidos estariam invadindo a sua casa. 
Flávio- Você iria tentar partir pra cima deles, mas um deles teria um revolver. E os outros estariam com pedaços de pau.
Flávio- Você pediria clemência pra eles, e diria que eles podiam pegar o que eles quisessem. 
Flávio- Eles não escutariam você, e apenas falariam que queriam se divertir e depois cheirar mais. 
Flávio- Então eles começam a te bater com o os pedaços de pau, e quebram a sua perna direita e depois a sua perna esquerda...
Rogério- ....
Flávio- Você começa a gritar pedindo compaixão, até que um deles diz...
Bandido 1- Sua esposa é bonita...
Flávio- Então eles correm atrás de sua esposa, puxam pelo cabelo e jogam ela na sua frente..., lágrimas começam a correr do seu rosto.
Flávio- Então eles rasgam a roupa que você escolheu para dar de aniversário para ela, e abaixam as calças....
Flávio- Então eles começam a estrupar a sua esposa, os três ao mesmo tempo, ela não para de gritar, o movimento é violento..
Rogério- O que você tá...
Flávio- Então eles vão alternando, e com os pedaços de pau vão batendo nas costas dela. Os gritos não paravam, até que finalmente acabou. Sua esposa estava morta.
Flávio- Você fica em choque profundo, você não acredita no que está vendo, até que você escuta uma outra voz...
Bandido 2- Tua filha é bonita...
Flávio- Você entra em desespero, começa a gritar, até que eles trazem a tua filha chorando e chamando por você....
Flávio- Então eles abrem as pernas dela, e com tanta violência que possivelmente quebrou a bacia dela..., e estrupam ela.
Flávio- Tua filha grita desesperadamente, até que o bandido bate com o pau na cabeça dela..., e ela morre.

Todos ficam em silêncio. Até que novamente a voz de Flávio ecoa.

Flávio- Pois bem, Dona Lúcia, esses foram os drogados que a senhora distribuiu a droga. Pois bem, Dona Lúcia, esses 5 anos que a senhora ficou presa, foram para pagar atos como esses.
Flávio- Agora eu lhe pergunto: a senhora pagou o necessário o que o teu filho perdeu?
Dona Lúcia- Não generalize..., eu..., euu...
Flávio- Você financiou tudo isso!
Flávio- Agora eu lhe pergunto, platéia!
Flávio- Se coloquem na posição de filha, de esposa, de marido. Como você se sentem?
Flávio- E AGORA, eu lhes pergunto, como vocês se sentiriam, quando os três bandidos fossem presos, e a família deles, ganhassem um auxílio reclusão?
Flávio- E AGORA, eu lhes perguntou, é justo? Você concordam com isso?
Flávio- Ouvi muito a frase "Deus me perdoou aqui", pois bem Deus é uma entidade realmente superior. Porque eu não perdoo nenhum de vocês.
Flávio- E ainda vocês querem alegar que são as vítimas? Quem são os culpados então? O sistema? A família do marido que foi estrupada e morta?
Flávio- Eu sinto nojo de tudo isso aqui. Vamos mãe.

E assim, Flávio saiu do estúdio, e nenhuma palavra foi ouvida durante meia hora. Até que finalmente o programa foi cortado do ar.

5 comentários:

  1. gostei do texto ta muito bom 

    ResponderExcluir
  2. Nossa,muito boa a atitude do rapaz,gostei mesmo...

    ResponderExcluir
  3. fiquei chocado com o relato, mas esse Flávio disse tudo e + um pouco!
    é issu ae

    ResponderExcluir
  4. ela vendeu droga pros cara nao mando elis mata a familia dos otros e estupra, isso nao e regra nao e todos drogado q entram na casa e estupram e matam os otros por favor ne. bunito a atitude, os bandido nao sao vitima, mas a mulher tb que so vendeu a droga nao e o capeta tb por favor.

    ResponderExcluir