[Recomendado]Um misto de relato, desabafo e agradecimento

Por Last Viking

Não me tomem por pretensioso (se tomarem também, foda-se). 

Como já disse aqui, conheço os blogs e fóruns da real há uns 4 meses, achei primeiro o blog do doutrinador, depois o do Sílvio e terminei pelo blog do doutrinador a achar o fórum e li muito neste tempo, os Livros do NA, a Esther Vilar eu já tinha lido faz uns 7 anos. 

Não encontrei este material por desilusão amorosa, mas simplesmente por em prática uma teoria sobre a censura velada neste país. Sempre digitava no Google clichês feministas e ofensas generalizadas a homens e via o número de resultados (milhares como devem imaginar) e fazia o mesmo com o inverso, digitava no Google antifeminismo e durante muito tempo o resultado foi nenhum, e uma página ou outra. Foi assim que encontrei o blog do Doutrinador. 

Fiquei animado quando vi que uma geração de homens no Brasil estava se levantando contra esta doutrinação feminista e antimasculina que vivemos no ocidente. Desde de sempre combati o marxismo e comunismo (como já puderam perceber mais de 90% dos meus posts são sobre política e estes temas). Por este mesmo motivo que insisto nestes assuntos o que todos sofreram (ou sofrem) em seus relacionamentos amorosos, nestas facilidades encontradas pelas mulheres dada toda esta glorificação exaltada pela sociedade é reflexo disto.





Sei que os antigos daqui estão cansados de saber disto, tanto que lendo os materiais deles há relatos e lições didáticas sobre política apontando para isto. Mas vejo uma garotada dizendo que isto não é importante e que não deva ser discutido.

Quem pensa assim está enganado ou ainda não seu deu conta totalmente do que está vivendo, do tipo de manipulação e lavagem cerebral que o marxismo impõem desde a tenra idade. O feminismo é um dos braços do marxismo, não é o mais importante, mas é o mais barulhento, é o filhote remelento mais chato de todos.

Sei o quão eles podem ser destrutivos, já cansei de ser perseguido por feministas e comunistas, tanto no meu antigo emprego como jornalista (agüentei este ambiente hipócrita por quase 8 anos, quando cansei e mandei tudo a merda e fui procurar outra profissão) quanto na carreira acadêmica, fiz mestrado e desisti de fazer doutorado por conta deste ambiente, resolvi fazer MBA para montar minha empresa, fiz 3 já que não tinha formação em administração, 2 destes fiz nos EUA, foi logo quando chutei tudo e fui morar fora porque estava de saco cheio do Brasil e principalmente dos brasileiros. Se tivesse me curvado a eles, teriam me destruído, se tivesse desistido de lutar e ficado na pasmaceira de segurar meu emprego e engolir sapos, hoje certamente seria uma pessoa depressiva e estaria me destruindo aos poucos.



Percebo uma mistura interessante aqui neste fórum (por isto que o torna tão rico) de pessoas de várias idades, várias origens, vários níveis sociais, culturais, enfim, uma mistura eclética de pessoas que questionaram (seja por problema de relacionamento ou por observação, não interessa) que algo estava de errado, e resolveu buscar respostas e encontrou este espaço, e dá a cara para bater aqui. 

Eu vejo também medo. Isto não é ruim, o medo é o que nos torna vivos, o medo é que muitas vezes nos separa da coragem e da estupidez. Mas não devemos nos curvar ante a ele sim domá-lo. 
Eu já senti muito medo na vida, mas aprendi a dominá-lo porque sabia que ninguém iria fazer isto ou que ninguém apareceria para me ajudar.

Agradeço todos os meus maus momentos, eles me tornaram forte e me deram sabedoria depois. Quando eu tinha 11 anos meu pai faleceu, por culpa exclusiva dele. Meu pai era advogado e também alcoólatra, quando ele voltava de churrasco ele perdeu o controle do carro (porque estava bêbado) e morreu em um acidente de carro na Anhanguera (SP). 

Neste momento eu posso dizer que foi meu primeiro despertar para o mundo, foi a primeira vez que eu perguntei: e agora? Como ele era advogado não deixou pensão alguma, por sorte minha mãe era diretora de uma escola da prefeitura, mesmo assim com 15 eu arrumei emprego para ajudar em casa. Nunca descuidei dos estudos, a única herança que meu pai me deixou foram livros aos montes e eu aproveitei todos.

Quando estava no penúltimo ano da faculdade minha mãe faleceu e eu fiquei responsável pelo meu irmão mais novo que na época tinha 16 anos. Desde então eu sustentei ele, tive medo em todas estas oportunidades (se cometesse um erro, meu irmão pagaria por ele também, pois dependia de mim). Aprendi a não pedir ajuda a ninguém, porque sabia que nunca teria alguma, as pessoas só estão com você nas horas boas, nas horas negras todos correm e se afastam. 

Por isto que nunca entrei na matrix de forma dita (isto não significa que não me ferrei em relacionamentos), pois tinha preocupações maiores. 

Onde quero chegar com isto: passar algo que me custou muito caro aprender: não dependa dos outros, não faça nada para impressionar os outros, quando fizer algo, faça por você e apenas por você. Não dê valor demasiado as coisas que não tem valor algum: opiniões de idiotas, frescuras e joguetes de mulheres, falsos amigos, parentes invejosos, vizinhos intrometidos e etc. 



Não espere que outros resolvam seus problemas, vá luta e enfrente, por pior que você esteja (depressivo, se achando um bosta, sem coragem, sem vontade) se entregar é sempre a pior escolha. Vivemos em país de merda, isto é verdade, aqui você vai ter que lutar muito para conseguir ser independente (financeiramente, e de todas as matrix: política, de relacionamentos, de futilidade, de falsas amizades e etc.) não vai ser fácil, não vai ser bonito e vai dar trabalho, mas no final vai compensar. 

Tenho 33 anos e hoje comparo a minha vida com a vida de amigos e conhecidos da mesma idade: muitos estão presos em empregos sem futuro porque tem que sustentar a família ou pagar pensão. Muitos reclamam da frieza da mulher, da greve de sexo que ela impõe ou são betas em seu casamento. Outros gastam horrores em noitadas vazias atrás de migalhas sexuais e afetivas. Antes tiravam sarro por eu não ter filhos ou ter me casado, agora invejam a minha vida.

Gostaria de parabenizar mais uma vez quem modera este fórum, quem administra e mantém este fórum. Faz por dedicação, por acreditar em algo bom e por querer ajudar gratuitamente pessoas que estão na pior ou estão perdidas, ou mesmo, um local de vazão de para pessoas que como eu querem partilhar o pouco que sabem e ajudar também. Sem este canal isto não seria possível.

Sei que me alonguei neste post, peço desculpas por fazê-los ler tudo isto, mas não poderia ser dito com economia de palavras.

3 comentários:

  1. Cara, o seu post não foi longo, foi necessário! Meus parabéns por suas conquistas e suas vitórias! No momento tô tentando fazer a minha vida, acabei um relacionamento de dois anos pra evitar joguetes da mulher, e por mais que esteja ficando difícil, vou continuar a seguir em frente. Tô tentando me reestabelecer na facudade e me efetivar na empresa em que estagio. E como você disse Sr. X, não vai ser fácil e não vai ser bonito, e vai ser estressante, mas é imprescindível na vida de todo homem. Sua contribuição é bastante válida, e todo o sucesso pra seu futuro, cara! Força e Honra! =)

    ResponderExcluir
  2. Camarada, vida dura, hein! Enfim, estás a vencer e és liberto e o melhor de tudo: és autruista, ma medida em que procuras ajudar aos que estão com vendas nos olhos.
    Meus mais sinceros parabéns e sucesso na tua jornada, nobre guerreiro. 

    ResponderExcluir
  3. Meus parabens amigo,de todas as coisas que vc escreveu,só uma eu venci nomomento por muito pouco;não fiz um pessimo casamento;porem agora nesse fim de ano sinto o inferno que vai ser o mesmo,estou sem rumo,praticamente falido,porem blogs como esse tem me dado forças e sabedoria para não cair mais;espero um dia poder postar algo como vc esta postando aqui.Um forte abraço Fabio

    ResponderExcluir