A maior arma contra a mentira feminina: o desapego


A Sombra da Mulher é sua faceta mais depravada e vil, não tendo limites ou freios de como deseja atender a suas necessidades. Desta forma a sinceridade total e absoluta está fora do alcance delas, não porque elas não desejam dá-la, mas porque é contrário a natureza delas serem francas e sinceras.

Logo, mesmo se você for um homem casado que desdenha de nossa sabedoria, e acredita que encontrou a tal exceção que nós negamos, leia e aceite: sua mulher mente para você.

Nessahan Alita faz um interessante paralelo entre a necessidade de exposição e os genitais: os femininos são fechados e ocultos por definição. Demonstre sua intenção de vê-los e (mesmo internamente excitada por sua intenção) ela fará ainda mais força para ocultá-los; em ambientes onde não existe interesse nesta revelação (entre amigas ou homossexuais masculinos), ela não se importará com a visão de sua genitália.

Esta postura mostra o primeiro e maior erro quando buscamos lidar com as mentiras femininas: pressioná-las a serem sinceras.

Quando impomos a elas nossa lógica, exigimos que elas falem a verdade, quando testamos abertamente a veracidade de seus atos, estamos, por ignorância nossa, as incentivando a mentir, mesmo que seja por algo que seja realmente banal. Quando obrigamos a mulher a seguir tal ou qual modo de se comportar, vestir, frequentar socialmente, estamos efetuando a mesma pressão, e as impelindo a mentir para nós.

Assim como apenas na libertinagem moderna, a Sombra da Mulher se tornou evidente, um homem liderantemente protetor só tem, além de confiar apenas no que a mulher faz, um meio de desnudar a Sombra: incentivar a mulher a fazer o que ela quiser, da forma mais desapaixonada que puder.

Desejam um exemplo?

Desdenhe interiormente de supostas ingenuidades dela: ela sempre sabe MUITO BEM o que está fazendo. Se ela está se aprontando para sair e aparece com uma roupa provocante, a Sombra está o testando em seu apego e sua credulidade. Mostre-se enciumado, exigindo que ela se vista de forma mais comportada, e, se pudesse ouvir a alma dela, ouviria a Sombra dela garganhando de satisfação... Mostre-se indiferente, e a fará intrigada; dependendo do controle que ela sente que tem de você, ela poderá ou não mudar de roupa... Mostre-se decepcionado com a falta - sim, a falta - de exibição dela, e incentive-a a usar roupas mais provocantes ainda: aí sim, você pegará a Sombra dela se surpresa. Uma mudança para roupas mais recatadas ou para mais provocantes ainda dirá, sem dúvidas, o quanto a Sombra dela a controla.

Dê a mulher liberdade e espaço para ser e fazer da vida dela o que ela quiser, e incentive-a a usar este espaço: a mulher que abrir mão desta liberdade irrestrita por vontade própria, merece seu cuidado e esforço; a mulher que, um pouco mais a cada vez, mostrar sua promiscuidade e vilania, terá provado sua maldade de forma inequívoca a você. Esta segunda mulher usará a liberdade que você deu de forma crescentemente irresponsável – o que lhe dará, na hora certa, motivos incontestáveis para dispensar esta vadia – ou fingirá que não usa tal liberdade, mas a fará lançar mão de mentiras cada vez mais escabrosas para esconder seus atos ilícitos – e chegará o momento onde um homem observador terá como enumerar estas mentiras de forma que ela não poderá sustentá-las.

Sim, meu irmão de gênero, deixe que sua mulher pense que te enganou nas mentiras PEQUENAS. Perseguir estes “peixes pequenos” manterá a espertinha de guarda alta. Engula tais mentirinhas, e uma hora as grandes cairão em seu colo como baleias encalhadas na praia. Se ela por acaso for descuidada e for desmascarada sem seu esforço... aí sim, seja pequena ou grande a mentira, ela deverá ser punida com sua lógica fria e implacável.

Assim, e unicamente assim, você verá por trás do engodo natural dela, a obscuridade da alma de sua mulher... e saberá agir de acordo.

Querer determinar ferreamente o destino de uma pessoa só é feito por aqueles que não desejam que ela parta ou se afaste, e isto é a antítese do desapego do qual necessitamos para ser maridos realmente senhores de seu lar, ou solteiros imunes ao canto de qualquer sereia.

O desapego é a luz que dissipa o poder da Sombra: cultive-o e sua estrada como um homem será clara e sem abismos onde cair.

Referências:

ALITA, Nessahan. Como lidar com as mulheres. Cap. 21, pag. 153 – 158.

ALITA, Nessahan. A Guerra da Paixão. Cap. 14, pag. 85 – 92.

3 comentários:

  1. nessahan alita,o pioneiro simplesmente aniquila as falacias femininas.

    ResponderExcluir
  2. O trabalho dele é algo a ser ultrapassado, a chegarmos a um nível de poder ver além. Fato. Mas ainda sim é leitura obrigatória para aqueles que desejam ter relações estáveis com mulheres e não serem destroçados no processo.

    ResponderExcluir
  3. concordo totalmente. destroçado no processo foi ótimo.

    ResponderExcluir