Vencendo o Círculo Vicioso


Não existe justiça nesta vida. 

Talvez seja essa a real mais óbvia até mesmo para o pior dos matrixianos. Não existem padrões claros, critérios aceitáveis e sistemas de recompensa justos em todas as dinâmicas da vida. Algumas pessoas se esforçarão muito, e farão tudo certo, sem nunca atingir um patamar satisfatório de sucesso. Outros farão tudo errado, ou, no máximo, um esforço mínimo, e alcançarão o sucesso mesmo assim. E, de quebra, se tornarão conhecidos e amados!

Alguns tiveram a sorte de nascer em berço de ouro. Isso, por si só, já é meio caminho andado para o sucesso. Outros nasceram na mais absoluta pobreza, sem acesso à educação de qualidade, o que diminuirá suas perspectivas de sucesso. Alguns "chegaram lá" puxando o saco de gente poderosa; o fato de não terem talento para nada pouco importou para alcançarem o sucesso. O fato de nunca terem feito nada de útil para a humanidade foi irrelevante. 

O que Any Winehouse fez de relevante para a humanidade, além de compor músicas imbecis e entupir as veis de droga?

Alguns atingiram o sucesso através de atividades supérfluas, como futebol, cinema, música, pornografia, etc. Enquanto isso, gênios morreram no anonimato, e só obtiveram algum reconhecimento após à morte. Exemplos na história não faltam, como Vivaldi, Van Gogh, Picasso, Colombo, etc.

Agora, o fato, na minha opinião, mais injusto de todos: o círculo vicioso. A tendência de o sucesso atrair mais sucesso, e o fracasso atrair ainda mais fracasso. Dinheiro atrai dinheiro, já dizia o ditado. Quem não precisa mais de dinheiro é justamente quem o atrai sem qualquer esforço! Enquanto isso, o pobre e endividado acumula mais e mais dívidas! Popularidade atrai popularidade. O popular atrai popularidade e simpatia automaticamente! O impopular tende a ficar cada vez mais "fechado" para si, o que aumenta ainda mais sua impopularidade!

Engraçado que a teoria do círculo vicioso cai como uma luva para as mulheres. Quanto mais mulher o sujeito pega, mais mulher ele atrai. Chega a um ponto que ele atrai mulher de forma automática, sem qualquer esforço. Enquanto o dito "pega-ninguém" tende a se tornar impopular, o que aumenta a sua timidez e o torna ainda mais "pega-ninguém"!!!


Estes fatos nos levam a conclusões inevitáveis. A primeira delas: não devemos ficar procurando justiça ou injustiça em tudo o que vemos. Se justiça verdadeira não existe, procurar por justiça, padrões claros, critérios aceitáveis e sistemas de recompensa justos é PERDA DE TEMPO! Apenas sonhadores românticos imbecis e infantilizados perdem seu precioso tempo na busca pela tal justiça.

Se o fulano atingiu o sucesso antes de você, mesmo se esforçando menos ou usando de meios espúrios, paciência! O fato de o sucesso dele ter sido "justo" ou "injusto" é irrelevante! Se você ficar se concentrando nas pequenas e grandes "injustiças" que ocorrem ao seu redor ou até mesmo com você, desperdiçará energia! Energia essa que poderia ser direcionada para atividades mais produtivas para você!

Desde pequenos, ouvimos nossos pais, irmãos, amigos e conhecidos reclamando de uma e outra injustiça. É aquele irmão que reclama do outro, o "queridinho do papai", ou no jogo de futebol na rua, onde uns reclamam que "o time adversário está muito forte"...

Depois, na escola, vemos nossos colegas reclamando da forma "injusta" como os professores tratam fulano e ciclano, e como privilegiam "beltrano". 


Quando adultos, nos deparamos com os movimentos sociais exigindo "justiça", "igualdade", "fim do preconceito", enfim, reclamando de injustiça atrás de injustiça. Engraçado é que, normalmente, as pessoas que se envolvem com estes movimentos são pessoas vitimistas, que não querem mover uma palha para melhorar a própria situação! Brigam por uma causa, mas não querem brigar por si próprios!!! Ou, em outras palavras: são péssimos exemplos para as pessoas!

Eu, particularmente, não gosto de ouvir reclamações alheias. Às vezes, por educação, até deixo a pessoa falar e finjo que estou ouvindo. Em outras oportunidades, não tenho saco de fingir e mudo de assunto na cara dura; ou invento uma desculpa qualquer para deixar o fulano falando sozinho!

Voltando ao assunto do texto, a segunda conclusão a que chegamos: se a situação está ruim, a tendência é piorar! Se você, leitor, está no buraco, a tendência é que você se enterre ainda mais!

Imaginemos uma dívida. Sobre o saldo devedor, há incidência de juros, o que aumenta a dívida, tornando-a cada vez mais difícil de pagar! Com o passar do tempo, pode chegar a um ponto em que fica impossível pagar ou parcelar a dívida!

O mesmo se aplica a uma situação ruim. Não há perspectivas boas, e não adianta se iludir!

Pior que tá fica!

O que poderá ser feito, neste caso, é um ESFORÇO EXTRA para reverter o quadro. Voltando ao exemplo da dívida, o devedor terá que fazer um pagamento alto, ou um parcelamento com uma entrada elevada e prestações dolorosas para quitar a dívida. O mesmo se aplica a uma situação de círculo vicioso: a pessoa terá que investir mais neurônios, mais energia, mais dinheiro e mais disposição para reverter o quadro. Não tem outra alternativa!

Se você é tímido e não tem vida social, não adianta se iludir pensando que poderá resolver seu problema facilmente, em um passe de mágica! Não, você vai ter de fazer um esforço monstro para sair dessa! E quando digo esforço monstro, digo esforço monstro MESMO! Afinal, ninguém vai te ajudar nessa!

Quando alguém está mal, a auto-estima e motivação caem, o que piora a situação. Não deixar a auto-estima cair é uma tarefa árdua! Necessária, mas difícil para quem está mal. Não adianta tapar o sol com a peneira: você precisa manter sua motivação em pé, mas não pense que será fácil mantê-la intacta perante um quadro difícil, que não vai ser mesmo!

Dizem que o que não nos mata nos torna mais fortes. Acredito que isso se aplica a nível emocional. Quando estamos na pior, é necessário que nos blindemos emocionalmente para manter a motivação. Se não conseguirmos nos blindar emocionalmente, já era! Agora, se conseguirmos, carregaremos tal blindagem para o resto da vida. Neste sentido, realmente, a adversidade nos fortalece.

Por último, o reconhecimento. Não devemos buscar reconhecimento naquilo que fazemos. Reconhecimento no sentido de ser mais "amados" ou mais "bem-quistos". O que você fizer, faça no sentido de obter resultados palpáveis e visíveis! Não se contente com "tapinhas nas costas" ou "agradecimentos". "Muito obrigado" não enche barriga de ninguém!

Sr. X, sobre o "reconhecimento"

Se o seu trabalho não te dá retorno, é hora de rever o que você faz, ou buscar outra atividade. Se suas amizades não te trazem benefícios, é hora de rever como você lida com seus amigos, ou até mesmo procurar outros amigos melhores. É racionalizar todas as suas relações? Sim, é racionalizar, e não há nada de errado nisso! Não há nada de errado em buscar o melhor para você! Sem sentimentos, mas com resultados positivos!

Resumindo: 

1) abandone essa mania de buscar "justiça" e "injustiça" em tudo. Aprenda a ignorar pequenas "injustiças" e focar naquilo que realmente interessa! 

2) Se a situação está ruim, é hora de se empenhar para sair do buraco; e é bom agir rápido antes que piore!

3) Ignore "reconhecimento"; busque resultados!

2 comentários: