Prejuízo alheio


Um leão forte, imponente, forte e saudável. A princípio, uma cena bonita, inspiradora, épica. Visualmente, tudo muito perfeito, não fosse um detalhe: todas as zebras, gazelas e outros animais que ele matou. O leão todo poderoso que você visualiza só está ali às custas destes animais citados. E o abate de cada um deles foi necessário. De outra forma, o leão nem estaria vivo. Era ele ou as presas. O leão fez a escolha certa!


Toda a nossa existência implica no prejuízo alheio. Sempre! Se você está trilhando um caminho de sucesso, estará acumulando, pelo caminho, o insucesso de outras pessoas. De certa forma, você é culpado pela derrota dessas. E é bom que você aprenda a conviver com isso, porque, para que você se tornasse um vencedor, a derrota dessas pessoas era inevitável!!!

O carreirista precisa ter habilidade em usar o talento dos outros ao seu favor, seja subordinados, colegas ou até mesmo superiores. Nos meios corporativos, isso se chama inteligência interpessoal. Eu prefiro chamar de manipulação barata. De qualquer forma, tenha o nome que tiver, este ato sempre implicará no benefício de um, em detrimento de uma ou mais pessoas.


Outro exemplo mais fácil de visualizar é o do empresário. Para ser bem-sucedido, ele precisará, primeiro, de empregados. Empregados que trabalharão para burro e ganharão mal! Muito mal! Se ele, por qualquer motivo, resolver pagar bem, diminuirá a margem de lucro e correrá o risco de quebrar! E, cá para nós, não seria nada justo, uma vez que o risco do negócio é dele e não dos empregados. Por isso, a exploração do trabalhador será inevitável para o sucesso daquela empresa.

O mesmo se pode dizer do consumidor da tal empresa. Será necessária habilidade do empresário para vender produtos de qualidade duvidosa por preços extorsivos. Se ele investir muito em qualidade, irá aumentar o custo dos produtos, podendo inviabilizar o negócio. Portanto, de certa forma, ele estará prejudicando os consumidores para ter lucro.

A recíproca é verdadeira: o consumidor, para receber a melhor proposta, precisa que várias empresas que atuam no mesmo ramo concorram entre si. Disputa pelo menor preço (que acarreta menor margem para as empresas), investimento em marketing (que implica em gastos), aumento da qualidade dos produtos para torná-los mais competitivos (e caros para a empresa), ou até mesmo práticas que visem o enfraquecimento ou até a "quebra" do concorrente. Ou seja: o lucro do próprio consumidor depende de certo sacrifício de várias empresas!!!

Resumo da história: a todo momento, você está prejudicando alguém em benefício próprio. Já diziam nossos pais que "a vida é uma guerra, onde os mais fortes devoram os mais fracos". Nunca eles estiveram tão certos! Na guerra pelo lucro próprio e prejuízo alheio, os mais fracos, realmente, sofrerão mais derrotas, enquanto os mais fortes acumularão vitórias uma atrás da outra.


Se você me disser que nunca prejudicou alguém na vida, eu aponto o dedo na sua cara e te chamo de hipócrita! Desde sua concepção, sua existência e bem-estar implicam no prejuízo de alguém.

Sua primeira "vítima" foi a sua mãe. Lá no ventre materno, você era uma criatura disforme, que só sugava nutrientes. E, em troca, você eliminava dejetos no corpo da sua mãe. Dejetos estes que, por nove meses, debilitaram a saúde dela.

O mesmo se pode dizer do seu pai. Para te garantir bem-estar, ele teve de trabalhar duro e ver a renda ser usada no seu crescimento. Ele investiu em você, já certo de que tal investimento não traria nenhum retorno, nenhum benefício para ele!

E assim foi durante toda a sua vida. Cada sucesso, cada vitória, cada degrau conquistado custou o bem-estar, a felicidade de alguém. Essa é a real mais dura da vida! O próprio conceito de macho alfa e macho beta é um exemplo de benefício próprio e prejuízo alheio. Para que um alfa se destaque, é necessário que haja exemplos de machos beta fracassados e assexuados. De outra forma, ninguém se destacaria. A evolução depende da seleção dos melhores, e no "descarte" dos piores. Cruel? Sinto muito! Não fui eu quem criou as regras. Assim como você, eu apenas sigo!


Se você é bom, honesto, altruísta, significa que você aceita o prejuízo próprio para garantir o benefício alheio. O que você ganha com isso? Amizades? Uma boa fama? Faça-me o favor... Bonzinhos são incapazes de garantir a própria existência! Bonzinhos são caras que militam o tempo todo contra si, em prol de terceiros! Em última análise, são perfeitos idiotas!!!

A tese do prejuízo alheio é tão forte que, para vivermos em sociedade, foram necessárias leis, na tentativa de minimizar o tal prejuízo, e impedir que nos tornássemos animais predatórios totais, espancando e até matando para garantir a própria sobrevivência. Acho que, embora a intenção dos legisladores tenha sido boa, não foi muito frutífera. No máximo, o prejuízo só muda de lado. No final das contas, alguém sempre acaba perdendo! Imagine era um ideal lindo, mas acabou se mostrando utópico ao extremo!

O texto parece ter sido escrito em tom de revolta. Mas não. Eu tenho plena consciência de que a realidade sempre foi assim. E sempre será. Cabe a nós apenas aceitar essa realidade e nos adaptar. Seu sucesso sempre estará marcado pelo prejuízo de uma ou várias pessoas. Ao longo de sua vida, você terá de escolher se vai jogar no time dos vencedores ou dos prejudicados. Faça a escolha certa! Como já dizia a velha máxima, "para se fazer um omelete, é necessário que alguns ovos sejam quebrados!".

1 comentários: