A matrix é um fardo para o homem comum!

A postagem de hoje terá um certo tom de pregação. Os ateus que me perdoem!

Não tendes limites em nós; mas estais limitados em vossos próprios afetos. Ora, como justa retribuição (falo-vos como a filhos), dilatai-vos também vós” (2 Corítnios 6: 11-13).

Paulo já dizia há dois mil anos atrás! Nós, homens, recebemos os melhores atributos da natureza, fomos feitos à imagem e semelhança de Deus, fomos criados em um nível superior ao dos animais. Tudo isso para quê? Para fazermos maravilhas; atingir o céu; superar todas as barreiras, enfim, para que não tenhamos limites. Para nada!

E aí, campeão? Tu é o cara!

Você, guerreiro que lê esse texto escrito em um sábado à noite, tem algum talento que pode ser usado em seu benefício para atingir exatamente o que você quer. Por mais beta, por mais ômega que você seja, sim, é possível chegar lá. Pelo menos, chegar em um nível razoável.
------------------------------
Parecem bonitas essas palavras iniciais. O problema é que a maioria das pessoas anda em círculos a vida toda. O pior é que até mesmo a maioria das pessoas que já passaram pela real (ou ainda estão navegando nos blogs e fóruns) andará em círculos a vida toda, sem chegar a lugar algum. Não deveria ser assim, mas a realidade é bem diferente da teoria. E onde estaria o problema? Na preguiça de levantar o traseiro e fazer alguma coisa? Na falta de orientação? Na desigualdade social?

Para mim, o problema é a matrix! Para quem está chegando no blog agora, matrix é uma gíria que surgiu no movimento da real para definir o mito do amor romântico. É a crença (falsa) de que as mulheres são santas e puras e que os homens são maus e crueis. É a crença de que, se formos corretos, honestos e bons, teremos a mulher de nossos sonhos.

Sabemos que este mito é completamente furado. Sabemos que romantismo não serve para absolutamente nada! Sabemos que caráter, sinceridade, cavalheirismo, etc. não conta ponto nenhum com elas! E, principalmente, sabemos que elas não são as santas que a mídia prega; elas gostam de jogar com nossos sentimentos; jogam pesado e, principalmente, jogam sujo

Também já sabemos que o que realmente funciona é a combinação de destaque social e postura. Se você tiver altura e beleza física, já começou bem. Se não, vai ter de passar pelo caminho das pedras: musculação, cursos que tragam retorno financeiro, desapego e postura dominante. Em outras palavras: o que vale para elas não é a sua personalidade, seu "jeito todo especial". O que vale é o quanto você tem; ou como você se comporta em relação a si mesmo e aos outros. Para elas, somos apenas mercadorias, que apresentam cotação mais alta ou mais baixa no mercado sexual. Resumindo: não importa quem você é, importa é o que você faz!

Você acredita mesmo que ela se apaixonou pelo jeitinho especial dele?

Se já soubéssemos o que importa desde crianças, evitaríamos muito sofrimento inútil. Iríamos direto ao ponto: estudaríamos mais, praticaríamos mais esporte, nos alimentaríamos melhor, e enfrentaríamos o medo e a timidez com maior determinação. E é exatamente aí que reside o problema: nós somos enganados por toda a infância (e por toda a vida), e só descobrimos a verdade aos trancos e barrancos!

Daí vem o título do texto: a matrix é um fardo! Por causa da matrix, muitos homens lá fora estão despendendo sua energia inutilmente. Muitos gastam rios de dinheiro em baladas imbecis, em festinhas idiotas, tudo para encontrar alguém. Outros infelizes passam horas a fio nas redes sociais procurando algum contato novo, tentando conseguir um mínimo de atenção.

Por causa da matrix, os homens estão se tornando tímidos, medrosos, afeminados. Por causa da matrix, os homens acabam não desenvolvendo sua virilidade, e ficam bem parecidos com garotinhas, o que acaba afastando ainda mais as mulheres. Muitos ficam solitários anos a fio e se conformam com essa situação; outros não conseguem se conformar e acabam deprimindo; e, em alguns casos mais extremos, ocorrem suicídios.

O mesmo se aplica à vida profissional. O homem atolado na matrix acaba se esquecendo de estudar, crescer, se desenvolver, ganhar dinheiro. A busca por uma mulher implica em um dispêndio excessivo de energia e ânimo em atividades que não dão retorno; energia essa que deveria ser direcionada para atividades mais proveitosas. A matrix, realmente, consegue cegar um homem para a própria realidade!

Com matrix

Quando a pessoa encontra a real e consegue sair da matrix, é como se uma tonelada tivesse sido tirada das costas do sujeito. Digo isso por experiência própria. Parece contraditório, mas é libertador para um homem descobrir que ele não vale nada pelo que ele é, mas pelo que ele tem e pelo que é capaz de fazer. Também é libertador descobrir que valorizamos as mulheres só por causa de peitos, bundas, coxas, e não por causa da personalidade delas

É libertador descobrir que os infernos emocionais que elas gostam de nos causar não passam de teatro. E é ainda mais libertador descobrir que o relacionamento não passa de um grande jogo, onde quem joga melhor sai vitorioso! Para nós, que usamos lógica ao invés de emoções, é mais fácil enxergar os relacionamentos por essa perspectiva.

Sem matrix

No meio da real, existem muitos guerreiros que não conseguiram abandonar o estado de revolta. Para mim, eles ainda não descobriram a verdadeira real. Leia bem o que eu vou escrever aqui: a verdadeira real dá paz de espírito, não revolta! A revolta, aliás, é outra matrix tão nociva quanto a primeira, uma vez que, da mesma forma que a primeira matrix, a revolta é um fardo que te impede de correr.

Você descobre que o mundo lá fora, que as mulheres e a sociedade são crueis, não para se revoltar; mas para, em primeiro lugar, aceitar como elas são. Em segundo lugar, para aprender a lidar com eles! A verdadeira real te ensina a jogar o jogo delas e vencer!

Em um texto que publiquei anteriormente, eu declarei que novatos não podem receber ajuda no fórum, e que não me importo nem um pouco com os problemas pessoais dos outros. E eu não me importo mesmo! Dane-se o mundo lá fora, danem-se as pessoas, eu conhecendo elas ou não: o meu foco se resume a mim mesmo e à minha família

E até neste ponto a real é libertadora! A partir do momento em que você aprende a focar no que realmente importa (você mesmo), você passa a ter maior motivação. Com maior motivação, você tem determinação para agir. Agindo, você começa a ver resultados!


Porém, mesmo eu não me importando com vocês que estão lendo este texto, a real se importa! Por isso, deixo essa contribuição para hoje, e espero que você consiga sucesso na sua empreitada. Então, aproveite que a real tirou esse fardo das suas costas e vá à luta!

2 comentários:

  1. Importante observar a campanha de aumento da idade para a prostituição como forma de impedir o acesso masculino a esse serviço no que se refere à idade das mulheres. Na Suíça a idade mínima era 16 anos e foi elevada para 18. Ninguém fez nada, nenhuma passeata, nenhum protesto. Na Holanda a idade foi elevada para absurdos 21 anos e já existem feministas querendo elevar para 25 anos. Se os homens desse planeta não acordarem, se unirem e tomarem consciência da situação, chegará o dia em que essa idade será elevada para 40 anos, e todos irão se perguntar: "como chegamos aqui?" Acordem irmãos, não deixem que as feministas manipulem a sua sexualidade e castrem a humanidade como um todo, exercendo controle sobre a sexualidade das mulheres/ adolescentes  mais jovens que elas e e dos homens em geral.Curtir
    Responder

    ResponderExcluir
  2. Depois de conheci a real, minha vida tem mudado bastante.
    Eu era um paspalho, que sofria de amores pelas namoradas que eu tive...
    Hoje em dia o foco principal é a evolução, o desenvolvimento pessoal.
    Vadias são feitas somente para sexo, e como está difícil encontrar uma verdadeira mulher este século XXI, o jeito é ir estudando, se desenvolvendo e ir curtindo com um sexo casual com algumas vadias.
    Sem caralho de apaixonamento !

    ResponderExcluir