Descobri a Real já casado/namorando! E agora? (Parte 1)

Confrades,
deste tipo de situação ninguém está imune. Com as pressões sociais, as ilusões românticas nos cercando desde o berço e a experiência modificando nossas necessidades primárias, é uma decisão que alguns aspirantes a Guerreiro já devem ter tomado.
Nosso processo de saída da Matrix enfrenta os mesmos passos que o processo de aceitação de qualquer perda, sendo que o que está sendo perdido é a falsa pureza de sua mulher. Assim sera quando você for aprendendo sobre a Real: primeiro, você tentará classificar sua mulher como exceção a tudo o que você aprendeu conosco; quando vir que ela não é exceção, se revoltará contra a Sombra dela, lutando para não transformar em agressão verbal, ou até física, sua indignação por tudo o que já sofreu; quando a revolta passar, passará em sua mente fazer sacrifícios (ser mais dedicado, tentar sutilmente ou não mudar o comportamento seu ou dela) para que a Sombra dela desapareça; quando os sacrifícios não derem resultado – ou até mesmo tornarem o Lado Obscuro de sua companheira ainda mais forte – profunda tristeza se abate na alma do homem, ao perceber que sua mulher nada teve de especial, que ela foi capaz de lhe manipular e usar de várias formas; por fim, findo este luto pela ilusão desfeita, esta tristeza passará, dando lugar a aceitação da Sombra da pessoa com o qual se casou.
É importantíssimo só tomar uma decisão em relação a se seu relacionamento ainda tem que ser mantido, após esta aceitação final chegar. Qualquer outra fase poderá distorcer seu julgamento, considerando a Sombra dela mais poderosa ou mais fraca do que ela realmente é.
A principal avaliação a fazer é a da dedicação pessoal. O quanto ela é capaz de abrir mão de algo que ela goste, em prol de lhe auxiliar? Saiba que Sombras poderosas são altamente egoístas; quando não recusam diretamente qualquer auxílio a você, exigem compensações exorbitantes para qualquer coisa que ela lhe dê. Se você consegue identificar no passado do casal, gestos genuínos de desprendimento dela por você, a Sombra dela não era tão poderosa; se ela ainda repete estes gestos no presente, sua relação ainda pode ser "salva". Contas divididas num mês em que hajam mais gastos, menos recursos para o supérfluo dela, a postura dela quando você fica doente, todos estes podem ser marginadores da força do Lado Obscuro dela.
Outra avaliação extremamente importante é como os bens e as dívidas dos dois estão divididas. Qual é o regime de casamento de vocês? Se não são casados de fato, houve um contrato de União Estável? Se não há nem União Estável, vocês já convivem há muito tempo? Ela possui recursos próprios, é ajudada pelos pais, ou depende unicamente do seu trabalho? Possui filhos que não sejam seus biologicamente que recebem pensão, ou não recebem nada? Deixa as despesas do lar ou os custos do namoro inteiramente na sua gestão, ou reparte algumas com você? Já que a Sombra é egoísta, quanto mais poderosa ela for, mas exigente em direitos e esquiva em deveres ela será. Uma Sombra muito poderosa pode inclusive fazer a mulher agir abertamente no sentido de lhe deixar com todos os ônus da união!
Outras reflexões sobre a quantidade de parceiros confirmáveis ela já teve (a Sombra é mais forte quanto mais relações ela já teve), as amizades dela (a Sombra sempre atrai Sombras semelhantes em atitude e força) e o tamanho da discrepância entre o que ela diz e o que ela faz (a Sombra delas é tão hipócrita que acredita em suas próprias mentiras, por mais absurdas que elas sejam), lhe dirão o quanto o Lado Obscuro domina as ações de sua "namorida".
Mas que o aspirante a Guerreiro, já que aceitou que ela tem uma Sombra, não se iluda novamente: toda mulher tem uma Sombra, uma face egoísta, manipuladora, ególatra e utilitarista em relação a qualquer homem, principalmente você, garotão! A mesma mulher que lava as suas cuecas, ou ajeita a gola da sua camisa, é a que sonha com o dia em que você limpe a calcinha dela com a língua! Você pode ter a sorte de descobrir que tal obscuridade não é tão forte quando você imaginava, mas não conseguirá provar que ela não existe.
Procure pela Sombra dela investigando o motivo de suas ações: em que estar com você é útil a sua mulher? Você a sustenta, tanto aos seus necessários quanto aos seus supérfluos? Tem uma aparência que atrai inveja e elogios para ela? Dá dignidade social a ela por conta do nome de sua família ou do cargo que você ocupa? Se desdobra para manter a autoestima dela alta? Gasta rios de dinheiro tentando curar o tédio dela? Você lhe dá sempre razão e se acovarda cada vez que ela levanta a voz? A Sombra da Mulher, aspirante, quer os homens pelo que eles podem proporcionar a ela, em termos materiais e emocionais – quanto mais, melhor. Se ela achar alguém que faça mais ou melhor, a Sombra sussurará no ouvido dela que ela deve chutar seu traseiro. Sem qualquer consideração pelo "amor" que você tem por ela. Nenhum.
E no nosso mundo, a Sombra da Mulher é tão pouco repreendida socialmente, que não é necessário muito estímulo para ela ser seguida.
Apesar disto tudo, não descarto a possibilidade do aspirante descobrir que sua mulher não parece ter uma Sombra. Ela é capaz de qualquer sacrifício para lhe agradar. O sexo continua tão ou mais ardoroso do que quanto no início da relação. Ela não tem comportamentos suspeitos, teve poucos relacionamentos – confirmáveis, pois elas nunca dirão quantos parceiros realmente tiveram – e não é provocativamente sensual na presença de outros homens. Ela não se interessa pelo seu dinheiro, embora ela insista em que você melhore sempre de estilo de vida. Ela até é profundamente familiar e zelosa dos pais, os dela e os seus! Mas neste caso, você está casado com um tipo que pode ser muito perigoso: a exceção relativa.
Se sua mulher se enquadra neste caso, significa que algum fator alheio à vontade dela impede sua Sombra de se manifestar. Transtornos de comportamento, deficiências físicas (mesmo as leves ou discretas), uma profunda diferença social dela em relação ao meio onde vive são os fatores de repressão mais comuns; ou seja, ela não é assim porque lhe "ama do fundo do coração". Adivinhe? Se este fator sumir de uma hora para outra (tratamento psicológico bem executado, no primeiro exemplo), o que acontecerá? A Sombra dela será liberta de uma hora para outra, e ela buscará a satisfação de seus negros instintos com uma fome e uma crueldade sem medidas. Sua relação sempre correrá este risco, de você acordar com o Monstro depois de anos vivendo com o Médico.
Já aceitou a malevolência dela, intrínseca ao fato dela ser mulher? Se sim, já mediu o quanto a Sombra dela ainda pode ser domada?
E o que te restará a fazer depois?
Na próxima parte, concluirei falando das atitudes por tomar em cada caso: quando a Sombra dela ainda é domável, quando ela é uma exceção relativa, e quando sua mulher é completamente governada por seu Lado Obscuro.
Força e Honra!

3 comentários:

  1. Muito bom o texto. Poderia melhor explicar a parte que vc fala que  transtornos de comportamento podem diminuir ou anular temporariamente o lado sombra das mulheres e que um tratamento psicológico bem executado pode liberar o lado obscuro. E pq eu já vi ocorrer o contrário, a mulher ter um lado obscuro explícito e depois de passar por uma psicóloga ela parou de sair pra festas, parou de ter amigos e amigas e se dedicou bem mais aos estudos. Mais eu acho que depende no caso do exemplo que citei a mulher era extrovertida e tinha problema com a imagem corporal, ela precisa se mostrar pros outros a elogiarem. Talvez vc esteja falando de alguma mulher que sofreu algum trauma ou tenha uma personalidade que ela seja bem fechada, tímida, etc. 

    ResponderExcluir
  2. Em primeiríssimo lugar, obrigado pelo comentário, Sheik.
    Não possuo conhecimento psicológico acadêmico, mas existem transtornos de personalidade que interferem diretamente com a necessidade de atenção e aceitação do indivíduo, o que afetaria diretamente a Sombra da Mulher. Transtornos que reduzam a necessidade de ter atenção, ao mesmo tempo que reduzem a de aceitação, como o Transtorno de Personalidade Esquiva (uma forma patológica de timidez, resumindo de forma pobre) são bons exemplos de como um transtorno pode reduzir artificialmente o poder de uma Sombra, tornando uma mulher uma exceção relativa ao modelo nessahaniano de Lado Obscuro.
    Neste caso, na medida que a paciente se dessensibilizar a críticas e reprovações, os desejos reprimidos do Lado Obscuro emergirão.
    O caso que você conhece me parece se enquadrar no Transtorno de Personalidade Histriônica, onde tanto a necessidade de atenção quanto a de aceitação são aumentadas; neste caso, de fato, a Sombra está artificialmente potencializada, e um tratamento psicológico bem sucedido a ajustará para sua intensidade "normal".
    Uma pequena pesquisa na Internet pode fazer um estudante da Real Face dos Relacionamentos estar mais atento se está diante de um destes casos e se está em posição de recomendar tratamento psicológico para a mulher em questão.

    Força e Honra! 

    ResponderExcluir