Testemunha de uma matrix

Por Hakiei, EPOC

Ontem, fui testemunha de uma coisa que me revoltou bastante:A matrix de um amigo muito querido meu.



O Relato.


Tudo aconteceu quando houve uma discussão entre a namorada desse meu amigo e um outro amigo meu(que outrora namorava essa mesma garota).A discussão rolava porque espalharam um boato pelo colégio, dizendo que esse ex-namorado dela disse que ela era uma puta piranha, dentre outros adjetivos. Tentei apartar a briga,e ao mesmo tempo, ficar em cima do muro, afinal os dois são meus amigos.

Mas acontece que esse meu amigo, ex dessa mina aí, tinha ficado com essa puta aí, estando com omeu outro amigo.Até que, o boato veio à tona.

O colégio inteiro(inclusive eu) estávamos sabendo,que ela chifrou o namorado dela com o meu outro amigo.Mas eu fiquei na minha, eu queria que ele mesmo soubesse.


Quando foi ontem, ele ficou sabendo, ele chorou e tudo, e eu e o melhor amigo dele tentamos confortar o cara, dizendo pra ele sair dessa, que mulher é tudo piranha mesmo, e etc.Minutos depois de estarmos conversando, ela chegou.Ficou se fazendo de idiota o tempo todo, dizendo que naum sabia de nada, que naum tinha feito nada, dentre outras coisas. Eu e o melhor amigo dele ficamos revoltados com a tamanha cara-de-pau dela ao tentar fazer uma espécie de "teatrinho",jogando mochila no chão, fazendo o maior escândalo depois que foi desmascarada.

Horas depois, estávamos subindo para as salas,e eles continuaram lá, conversando.
quando cheguei na sala, sentei no meu lugar, que é do lado da janela e que dava pra ver o local onde os dois estavam.E sabem qual foi a cena que eu vi???

Os dois abraçados.Isso mesmo!Parece que os esforços,tanto os meus quanto os do melhor amigo dele, foram em vão.Parece que ela conseguiu levar o cara na conversa.

Aquilo me revoltou completamente.


Mas eu vou deixar isso pra lá, se ele quer ser chifrudo de novo,ele que se estrepe.Fiz a minha parte ao tentar abrir os olhos dele, maso ditado é certo:

"O pior cego é aquele que não quer ver".

Cheers!

0 comentários:

Postar um comentário