Aspirante a Escritor da Real

"Bom, estou escrevendo um livro há alguns meses, um romance, com base no realismo (inspirado em Eça de Queirós em "O Primo Basílio", seguindo apenas a linha racional desse, inspirado no que debatemos aqui na comunidade e o as coisas ultrajantes sobre as mulheres que vemos no dia-a-dia, chamado "A Paixão de Ciro Bustamante". Um livro de época, mais precisamente quando o Brasil resolve entrar no confronto da segunda guerra mundial (1944).


Bom, primeiro, escrevo num caderno em casa pra passar pro computador, na casa dum amigo meu. E deixo o caderno pela sala, no quarto,enfim. Um, belo dia, minha mãe, sem mais nem menos, começou a jogar umas "verdades" na concepção dela, na minha cara, por causa do prefácio e de alguns trechos do livro, que irei posté-los à seguir, dizendo que o personagem nada mais era do que eu mesmo( eu pus apenas pequenas particularidades minhas no personagem, nada mais) e dizendo que eu precisava casar, ter uma namorada, etc., porque ela sabe que eu nunca me envolvi sério com mulher nenhuma.

Falou que era recalque, que eu estava maluco e que precisava de um psicólogo, fora outras babaquices que não me lembro.

Vou postar o prefácio do livro, o resumo dos personagens mais alguns trchos do livro.


"Prefácio.

Dedico este livro inteiramente à integridade feminina que vem decaindo graduativamente nos dias atuais; à toodas às mulheres que insistem em criar ilusões aos homens, sejam elas "santas", promíscuas, pseudo-intelectuais ,pseudo-frígidas e afins; às artimanhas, peripércias e "Jogos" psicológicos usados contra os homens; à todas as frases clichês que vou ouvir por escrever este livro; e, principalmente, agradeço à hipocrisia feminina, pois sem a mesma, jamais poderia escrever este livro.


O Autor.

Resumo dos personagens.


Ciro Bustamante - Um garoto gordinho, matrixiano, que gosta de café com leite e bolo de fubá, é um menino reservado, ainda com quatorze anos, tem a sua primeira paixão: Manoela, uma menina recém chegada de Portanova(uma cidade fictícia que eu criei) perto de Lisboa, que vai estudar na turma dele. A paixão de Ciro por Manoela torna-se louca de um dia pro outro.

Manoela - Uma portuguesinha aparentemente encantadora...É doce, meiga, mas gosta de ter seu ego inflado(Ciro lhe recitava poemas pra ela se sentir bem) e ela o iludia indiretamente, dizendo que Ciro era sua paixão e etc...Manoela fica com Henrique.

Clarissa - Vizinha de Ciro, o ama platônicamente. Mesmo ela sabendo que o seu amado Ciro cai de amores po Manoela, não o deixa de amar. Mas quando Ciro, cego e iludido por seu amor por Manoela, o magoa, esta namora e casa com Mateus, um rapaz boa praça que já a cortejava há tempos. Mas mesmo casando com Mateus, ela não consegue esquecer Ciro, e seu final não é dos melhores: ela morre no final do livro.

Henrique - Um dos "machos alfa" da trama. Ele é o oposto de Ciro. Nada tímido, galanteador, o "menino galinha.
Aprendera com o pai a como iludir um a mulher e pô-la a seus pés. Se interessa por Manoela simplesmente por uma aposta que ele fez com um amigo de classe, o Ramiro. quem conquistasse Manoela primeiro ganhava vinte e cinco pratas ("pratas" é a unidade monetária do meu livro).Ele o faz, mas ele ainda continua sendo galinha, e passa para Manoela a impressão de um "menino correto e apaixonado".

Ramiro - Portuguesinho, também vindo de Portanova, mas morava há tempos na mesma cidade de Ciro, faz uma aposta com Henrique para quem conseguisse conquistar Manoela primeiro.
Este, por sua vez, não consegue ganhar a aposta, e no decorrer da história, ele vai retornar com a família para Portanova, mas vai deixar sua marca: vai falar com Manoela sobre a aposta dele com Henrique.Esta, por sua vez, vai largá-lo.

Alguns trechos marcantes do livro.


Esse trecho mostra como a personagem Manoela, gosta de ter seu ego inflado por Machos beta, como o Ciro, o protagonista.

II


(...) Ciro caminhava na direção de Manoela. ela o recebeu com um cativante sorriso.
Ciro lhe corresponde com sorrisos envergonhados e se senta ao lado dela. Timidamente, lhe diz:
- Oi...
- É uma graça esse teu jeito - sorriu Manoela. - De que tens vergonha? Não precisas ficar acanhado.
- De nada - respondeu Ciro. - Sou apenas um menino de poucas palavras.
- Esse é um jeito que cativa muitas meninas - disse Manoela.( kkkkkkaté parece) - Tu falas pouco, mas desta forma conseguiste me encantar com teu jeito!

Ciro estava encantado por ter encantado a quem estimava! Sua face corava; uma mudez instalou-se entre eles, e a gritaria das outras crianças dava lugar à falta de diálogo. Ciro então, recitava um poema em voz baixa:

"Ao som do mar à noite,
A lua partiu porque quis.
Foi-se ela rumo ao norte,
Linda e tristei à Paris!"

- Que lindo!- Exclamou Manoela. - Foste tu quem fizeste?
- É, foi - respondeu Ciro.
- Gosto de meninos românticos - acrescentou ela. - Lindos poemas fazem-me sentir nas nuvens! Vamos! recita-me outro!(...)

(...) O sinal havia batido, enquanto Ciro recitava um último poema:

"Seus dentes, seus sorrisos,
Seus suspiros, seus sinais
Já são o bastante para eu te desejar mais

Menina!"

- Esplêndido! Tu és mais lindo do que imaginava! - disse Manoela. - Adoro-te!(...)

* Como podem ver, a personagem Manoela gosta de ter o ego inflado ( uma das críticas do meu livro).

Como elas caem na conversa dos cafajestes
III

(...) entraram na sala.Manoela saiu. Foi ao banheiro, e no caminho, encontrou Henrique:

- Ei...Você disse que conversaríamos depois...Lembra?Ainda temos assuntos pendentes.
- Que "assuntos pendentes"? - perguntou Manoela.
- Sobre nós dois - completou Henrique. És encantadora, me deixaste fascinado. Desde ontem, quando nos conhecemos, não paro de pensar em ti. Hora após hora, desejo possuí-la para mim mais e mais; minuto por minuto, minha libido por ti torna-se mais forte e por isso, vim disposto a dizer-lhe tudo o que sinto, que é da mais pura e sincera verdade.

- Tolices - disse Manoela. - Tu não sentes tudo isso por mim.
-Juro-lhe - disse Henrique. - Nunca senti por menina nenhuma o que sinto por ti.
O peito de Manoela arfava.Ficara calada por um pequeno instante,pensando numa resposta, enquanto Henrique tomava-lhe a mão:

- Garanto que tu serás feliz ao meu lado, Manoela. Lhe asseguro com a mais pura sinceridade! Você é linda, e tua lindeza quero para toda a vida junto a mim.

- Mesmo? Oh, Henrique, também estou fascinada por ti...(...)


*Uma prova de que, um cafajeste com meia dúzia de elogios furados consegue faturar uma mulher....
Tem mais coisas, mas agora não dá pra postar...bom podem deixar críticas, elogios e sugestões...Afinal, isso tudo vai servir para o meu livro.

0 comentários:

Postar um comentário