O Homem Justo e a Indústria do Amor.

*Por John Nada ,Blog EPOC.

Um fenômeno lamentável vem assombrando os homens nos últimos tempos: a obrigação social de ter sucesso com as mulheres. Está se tornando cada vez mais comum homens de 20 poucos anos se sentirem verdadeiros lixos humanos porque possuem pouca ou nenhuma experiência com mulheres.

Isso é culpa da "Indústria do Amor", que vende o amor romântico e, paradoxalmente,a libertinagem como únicas fontes de prazer e satisfazação de um homem. É natural um homem jovem sentir desejo por uma mulher, principalmente se este homem é pouco experiente. O que é doentio é como a "Indústria do Amor" explora essa necessidade transformando o que é uma mera curiosidade em relação ao sexo oposto em fonte de tormento. Através da propaganda maciça a "Indústria do Amor" vende o prazer sexual como única fonte de redenção do homem. A mensagem nas entrelinhas seria + ou - a seguinte: "transe com o máximo de mulheres possível e ganhe prestígio na sociedade". E o homem comum, pela necessidade de aceitação no grupo, corre atrás desse ideal sem questionar os reais motivos por trás destes. O homem comum não pensa por si, ele é "pensado" pela "Indústria do Amor", que se utiliza de sua necessidade de prazer carnal para imbutir em sua mente padrões de comportamento que esta industria julga a mais adequada( e lucrável) para ela.

"Você pode ser rico, pode ser inteligente, pode ter descoberto a cura do cãncer, mas se você não tem uma mulher ao seu lado ,Tu é um perdedor". É isso que a "Indústria do Amor" prega devidamente respaldado pela sociedade. E lá vai o homem comum fazer de tudo para conseguir mulheres e ser aceito pela sociedade. Ele poderia satisfazer seus desejos no puteiro, mas isso não é prestigioso, então todos os homens, do cafajeste ao bonzinho, se lançam em uma corrida insana por mulheres, perseguindo um prestígio determinado pelo sistema.

Pergunte-se: o que é mais importante para você? Conquistar muitas mulheres ou possuir conhecimento? Se você escolheu a segunda opção ,Tu está no caminho certo para se tornar um Homem Justo.

O Homem justo é aquele que sabe que a chave de sua liberdade e sua felicidade está no conhecimento. O conhecimento porpociona antes de tudo uma visão critica da sociedade, e essa visão critica lhe dá os meios para sobreviver a ela.

Sendo assim, o Homem Justo não é escravo de regras, costumes, padrões sociais, modismo. Ele é escravo apenas de sua consciência e vive conforme aquilo que sua consciência lhe diz ser melhor para ele.

A mulher para o Homem Justo se torna cada vez mais superflúa para ele, pois este está em uma jornada pela busca de conhecimento e satisfação pessoal. O Homem Justo busca um sentido para a sua vida, um planejamento ou ofício que lhe traga satisfação pessoal e que dependa unicamente dele. O Homem Justo gosta de mulheres e sente a necessidade do toque feminino, mas não é escravo desse toque e muito menos escravo daqueles que dizem que a felicidade se encontra no toque de uma mulher. Seu bem estar e satisfação pessoal não dependem das mulheres. O Homem Justo sabe que o prazer que uma mulher pode porpocionar é pouco perto do prazer que a vida, o conhecimento e natureza podem lhe oferecer.

8 comentários:

  1. muito bom texto... acredito muito no poder do conhecimento afinal homem quando chega no fim da vida não leva nada mais do que o seu próprio conhecimento!

    ResponderExcluir
  2. Esse texto é meu. John Nada era meu fake antigo(perguntem ao Sílvio que ele vai confirmar).

    Hoje sou conhecido(e odiado) pelo nome de Jack Deth/Abdall...

    Hehehehehehehe

    ResponderExcluir
  3. Caro e ilustre Abdall.

    Que bom que dei os devidos créditos à quem de direito,mesmo que tenha sido de forma indireta...rsrsrsrs...

    Mas não deixa de ser um belo escrito de sua parte.Postagem curta,sucinta e direta,uma abordagem nua e crua dos fatos citados.

    ResponderExcluir
  4. Seja quem for o autor : John Nada , Jack Deth, Abdall ou seja lá quem for (risos !! ), a úniva coisa que tenho a dizer é que este texto é òtimo !!

    faço das palavras do Conde de Monte Cristo, as minhas !!

    ResponderExcluir
  5. Seja quem for o autor : John Nada , Jack Deth, Abdall ou seja lá quem for (risos !! ), a úniva coisa que tenho a dizer é que este texto é òtimo !!

    faço das palavras do Conde de Monte Cristo, as minhas !!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Um ditado diz que mulher so presta pelada...errado! Nem pelada presta!

      Excluir
  6. Caro e ilustre Abdall.

    Que bom que dei os devidos créditos à quem de direito,mesmo que tenha sido de forma indireta...rsrsrsrs...

    Mas não deixa de ser um belo escrito de sua parte.Postagem curta,sucinta e direta,uma abordagem nua e crua dos fatos citados.

    ResponderExcluir
  7. Excelente texto e excelente crítica social.

    ResponderExcluir